sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

ensaios


intertextualidade

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃOCENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE CAXIASDEPARTAMENTO DE LETRAS

Francisca Lucilene S. da Silva
Valéria Albuquerque Ramos

TITULO DO PROJETO

A Intertextualidade como recurso otimizador no desenvolvimento da linguagem oral e escrita.

PÚBLICO ALVO
Alunos da 7ª série “A” e 8ª série “B” do Ensino Fundamental, turno matutino, do Centro de Ensino “Teófilo Dias” da cidade de Aldeias Altas-Ma.
DINAMIZADORES

Acadêmicas Uemianas da disciplina Estágio Supervisionado do Ensino Fundamental- 4º Ciclo.

OBJETIVOS

Desenvolver a capacidade de comunicação oral e escrita;
Promover o contato dos alunos com a maior diversidade de texto possível;
Possibilitar aos alunos identificarem as relações existentes entre textos e discursos.

JUSTIFICATIVA

A Intertextualidade é um diálogo entre textos, esse diálogo exige um universo cultural amplo e complexo, uma vez que a Intertextualidade está diretamente ligada ao conhecimento de mundo. Se o leitor não possuir um conhecimento prévio, não entenderá a relação de um determinado texto com outro.
A Intertextualidade compreende as diversas maneiras pelas quais a produção e recepção de dado texto depende do conhecimento de outros textos por parte dos interlocutores, isto é, diz respeito aos fatores que tornam a utilização de um texto dependente de um ou mais textos previamente existente. (Beaugrand e Dressler. Apud Koch e Travaglia. p.88)
A prática da Intertextualidade está associada ao texto e à interdiscursividade, por isso se faz necessário conhecer conceitos como: discurso, interdiscurso e intertexto.
O discurso é uma atividade social, uma instância de produção de texto; é também um espaço em que o dizer é regulado e ligado a práticas sociais delimitadas material ou ideologicamente.(Assunção, 2008. p. 71)
Interdiscurso é o conjunto de discursos formado por discursos de um mesmo campo ou de campos discursivos distintos, de épocas diferentes ou da mesma época.(Assunção, 2008. p. 78)
Intertexto é um termo utilizado por designar um conjunto de textos ligados por relações intertextuais, o qual pode ser de uma mesma época ou de épocas distintas. (Assunção, 2008. p.)
A Intertextualidade costuma ser identificada por teóricos por tipos, que incluem fatores relativos a conteúdo, forma e tipos textuais.
- a que se liga ao conteúdo pode ser explícita (citações entre aspas) ou implícita (paráfrases, paródias).
- a que se associa ao caráter formal pode ou não estar ligada à tipologia textual.
- a que remete a tipos textuais está ligada a modelos cognitivos globais, às estruturas ou aspectos formais de caráter linguístico: tipologia ligada a estilo de época.
É importante que não se encare a intertextualidade apenas como a “identificação” da fonte e, sim, que se procure estudá-la como um enriquecimento da leitura e da produção de textos e, sobretudo, que se tente mostrar a função da sua presença na construção e no sentido dos textos.

METODOLOGIA

Seleção de textos que foram trabalhados com os discentes, levando em consideração o horizonte de leitura dos alunos e as relações estabelecidas entre os textos;
Sensibilização dos alunos a respeito de intertextualidade e discurso, possibilitando-lhes uma nova forma de interpretação textual;
Realização de ensaios para o coro e leituras;
Organização do espaço onde realizou-se as apresentações.
CULMINÂNCIA

Realizou-se no dia 17 de novembro de 2009, no turno matutino, no Centro de Ensino “Teófilo Dias” as apresentações do Projeto Pedagógico citadas na metodologia.

AVALIAÇÃO

O processo avaliativo foi efetivado ao longo de toda a dinamização do Projeto, observando o nível de participação e interesse dos educandos na execução das atividades: durante a aula expositiva, os ensaios e as apresentações.

ENSAIOS










APRESENTAÇÕES




REFERÊNCIAS

ASSUNÇÃO, Deline Maria Fonseca. VEJA: Capas em diálogo. In: CARVALHO, Diógenes Buenos Aires de; MAIA Solange Santana Guimarães (orgs.) Língua e Literatura: Interfaces da Linguagem. São Luis. Editora UEMA, 2008.

CARDOSO, Sílvia Helena Barbi. Discurso e Ensino. 2.ed. Belo Horizonte, Autêntica/FALE-UFMG, 2005.

FAVERO, Leonor Lopes; KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Linguística Textual. São Paulo. Cortez, 1998.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e Coerência. São Paulo. Cortez, 1989.
MAIA, Maria Cristina de Mota. Intertextualidade. In: http:acd.ufrj.br/~pead/tema02/intertextualidade.

intertextualidade

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃOCENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE CAXIASDEPARTAMENTO DE LETRAS

Francisca Lucilene S. da Silva
Valéria Albuquerque Ramos

TITULO DO PROJETO

A Intertextualidade como recurso otimizador no desenvolvimento da linguagem oral e escrita.

PÚBLICO ALVO
Alunos da 7ª série “A” e 8ª série “B” do Ensino Fundamental, turno matutino, do Centro de Ensino “Teófilo Dias” da cidade de Aldeias Altas-Ma.
DINAMIZADORES

Acadêmicas Uemianas da disciplina Estágio Supervisionado do Ensino Fundamental- 4º Ciclo.

OBJETIVOS

Desenvolver a capacidade de comunicação oral e escrita;
Promover o contato dos alunos com a maior diversidade de texto possível;
Possibilitar aos alunos identificarem as relações existentes entre textos e discursos.

JUSTIFICATIVA

A Intertextualidade é um diálogo entre textos, esse diálogo exige um universo cultural amplo e complexo, uma vez que a Intertextualidade está diretamente ligada ao conhecimento de mundo. Se o leitor não possuir um conhecimento prévio, não entenderá a relação de um determinado texto com outro.
A Intertextualidade compreende as diversas maneiras pelas quais a produção e recepção de dado texto depende do conhecimento de outros textos por parte dos interlocutores, isto é, diz respeito aos fatores que tornam a utilização de um texto dependente de um ou mais textos previamente existente. (Beaugrand e Dressler. Apud Koch e Travaglia. p.88)
A prática da Intertextualidade está associada ao texto e à interdiscursividade, por isso se faz necessário conhecer conceitos como: discurso, interdiscurso e intertexto.
O discurso é uma atividade social, uma instância de produção de texto; é também um espaço em que o dizer é regulado e ligado a práticas sociais delimitadas material ou ideologicamente.(Assunção, 2008. p. 71)
Interdiscurso é o conjunto de discursos formado por discursos de um mesmo campo ou de campos discursivos distintos, de épocas diferentes ou da mesma época.(Assunção, 2008. p. 78)
Intertexto é um termo utilizado por designar um conjunto de textos ligados por relações intertextuais, o qual pode ser de uma mesma época ou de épocas distintas. (Assunção, 2008. p.)
A Intertextualidade costuma ser identificada por teóricos por tipos, que incluem fatores relativos a conteúdo, forma e tipos textuais.
- a que se liga ao conteúdo pode ser explícita (citações entre aspas) ou implícita (paráfrases, paródias).
- a que se associa ao caráter formal pode ou não estar ligada à tipologia textual.
- a que remete a tipos textuais está ligada a modelos cognitivos globais, às estruturas ou aspectos formais de caráter linguístico: tipologia ligada a estilo de época.
É importante que não se encare a intertextualidade apenas como a “identificação” da fonte e, sim, que se procure estudá-la como um enriquecimento da leitura e da produção de textos e, sobretudo, que se tente mostrar a função da sua presença na construção e no sentido dos textos.

METODOLOGIA

Seleção de textos que foram trabalhados com os discentes, levando em consideração o horizonte de leitura dos alunos e as relações estabelecidas entre os textos;
Sensibilização dos alunos a respeito de intertextualidade e discurso, possibilitando-lhes uma nova forma de interpretação textual;
Realização de ensaios para o coro e leituras;
Organização do espaço onde realizou-se as apresentações.
CULMINÂNCIA

Realizou-se no dia 17 de novembro de 2009, no turno matutino, no Centro de Ensino “Teófilo Dias” as apresentações do Projeto Pedagógico citadas na metodologia.

AVALIAÇÃO

O processo avaliativo foi efetivado ao longo de toda a dinamização do Projeto, observando o nível de participação e interesse dos educandos na execução das atividades: durante a aula expositiva, os ensaios e as apresentações.

ENSAIOS










APRESENTAÇÕES




REFERÊNCIAS

ASSUNÇÃO, Deline Maria Fonseca. VEJA: Capas em diálogo. In: CARVALHO, Diógenes Buenos Aires de; MAIA Solange Santana Guimarães (orgs.) Língua e Literatura: Interfaces da Linguagem. São Luis. Editora UEMA, 2008.

CARDOSO, Sílvia Helena Barbi. Discurso e Ensino. 2.ed. Belo Horizonte, Autêntica/FALE-UFMG, 2005.

FAVERO, Leonor Lopes; KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Linguística Textual. São Paulo. Cortez, 1998.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e Coerência. São Paulo. Cortez, 1989.
MAIA, Maria Cristina de Mota. Intertextualidade. In: http:acd.ufrj.br/~pead/tema02/intertextualidade.